logo

BrazilHealth
Fazer login
Comunicação não verbal – o sorriso fala

Dr. Carlos Loureiro Neto, Odontologia
Publicado em 09/08/2017 - Atualizado em 21/08/2017


Comunicação não verbal é uma comunicação sem palavras, ou seja, através de gestos, sorrisos, movimentos dos olhos, toques, volume da voz e, até mesmo através do silêncio ocorre uma comunicação.

Segundo Lilian Riskalla, consultora de Imagem e comportamento, 30 segundos é o tempo que leva para alguém formar uma lista inteira de impressões sobre seu caráter e habilidades. Ressalta ainda que os julgamentos que fazemos sobre alguém no nosso primeiro encontro são muito poderosos e difíceis de mudar. Em um encontro inicial nós tendemos a tratar os outros como objetos dando ênfase a como eles se parecem e soam a você.

O ser humano consegue, por meio da interpretação de gestos, captar o que o falante quer dizer nas entrelinhas. Pesquisa realizada por James Kouzes e Barry Posner, autores do best-seller “O Desafio da Liderança”, revela que apenas 7% do impacto da comunicação é passado pela fala. Já as expressões não verbais contribuem com 55% da mensagem que se quer dar. Os 38% restantes ficam por conta das características vocais do emissor (entonação, ênfase, colocação vocal, volume da voz).

As mensagens da comunicação não verbal podem comunicar sentidos específicos. Quando uma pessoa gosta de outra, sinaliza-o primeiro, através de sinais não verbais e depois por mensagens verbais.

As mãos, postura, gesto e olhares passam mensagens, às vezes contrárias às proferidas pela fala levando o mundo corporativo a analisar com cuidado a questão. Prova disso são treinamentos voltados para o aprimoramento da comunicação não verbal destinados a executivos.

A expressão facial é a forma mais comum de demonstrar emoções. Fisiologistas estimaram que o rosto humano é capaz de gerar cerca de 20.000 expressões diferentes.

Pessoas que sentem qualquer desconforto quanto ao seu hálito ou à aparência de sua face e dentes (tortos, escuros, manchados, separados, pequenos, etc.) apresentam uma tendência a serem introspectivas, inseguras e complexadas. Desta forma, a aproximação para falar, expressar opiniões e a manifestação do sorriso ficam muito difíceis, podendo se tornar fator de influência no equilíbrio emocional que envolve a autoestima, levando estes indivíduos a serem interpretados como mal humorados, fechados e indiferentes. Por motivos óbvios, têm suas relações interpessoais prejudicadas, sendo pre-julgados com características que nem sempre combinam com sua personalidade.
Em associação com profissionais especializados em recolocação de executivos, consultores de imagem e sob influência das exigências estéticas atuais, a odontologia tem sido elemento fundamental na modificação da imagem de profissionais que buscam melhor colocação e posicionamento no mundo corporativo. Em uma consulta/entrevista, observando as características positivas, ouvindo e conhecendo os valores da pessoa, normalmente tentamos entender subliminarmente o quê ela deseja expressar por meio de sua imagem. Associando as informações ao estudo da face e sorriso com um protocolo de fotos digitais, é possível estabelecer uma estratégia de tratamento multidisciplinar que contemple as necessidades funcionais e estéticas da pessoa.

A anatomia de um sorriso

A configuração do sorriso poderá reforçar ou atenuar características pessoais. Por exemplo: pessoas que tem os caninos mais salientes que os incisivos centrais oferecem um aspecto vampiresco ao sorriso, que é relacionado a perigo e agressividade. Nesta situação se a pessoa não tem esta característica em seu íntimo, terá sua imagem prejudicada pela não concordância entre comunicação não verbal e comportamento. Ao contrário, se a pessoa tem comportamento e condutas austeras e agressivas, com este sorriso, terá esta imagem reforçada e acentuada. Modificando o sorriso para uma situação de equilíbrio entre as proporções dentais em forma e cores, tirando a evidência dos caninos, teremos estas características extremamente atenuadas.
Dentes escuros, tortos, pouco visíveis encurtados por desgaste funcional ou acentuado por bruxismo, lascados ou fraturados oferecerão um aspecto envelhecido ao sorriso, comprometendo a imagem de jovialidade tão valorizada pelos conceitos estéticos atuais e levado em consideração nas relações corporativas, principalmente para profissionais que buscam recolocação. De outra maneira, dentes curtos e com espaços (diastemas), porém com anatomia e cores preservados, oferecerão um aspecto infantilizado, comprometendo a imagem de maturidade, segurança e confiabilidade que a pessoa poderá transmitir. Obviamente, o comportamento e atitudes poderão ou não concordar com a comunicação não verbal.

A adequada posição entre arcos dentais e dentes permite uma pronúncia mais precisa e nítida das palavras, enquanto que a presença de espaços entre os dentes superiores e prejudica a fonética.

Com tratamento personalizado e usando os materiais, equipamentos e técnicas atuais, a odontologia dispõe de muitos recursos com preservação de estrutura dental como clareamento, restaurações estética de resina composta, facetas de porcelana com mínimo ou nenhum desgaste, dependendo da cor do dente. Cada vez mais usamos enxertos e implantes para repor dentes perdidos, o auxilio de ortodontia e cirurgia buco-maxilo-facial para modificação do sorriso e face que oferecerá harmonia com a imagem interior, expressando suas qualidades e atributos positivos, proporcionando autoconfiança, equilíbrio e resgatando a autoestima que provocará reações positivas nas relações interpessoais.

 

BrazilHealth
Vitamina D - qual é a dose certa e como obtê-la? - Renata Pereira
Também conhecida como vitamina do sol, a vitamina D desempenha um papel importante na função imune. ...

Osteoporose - Causas, sintomas e tratamento - Prof. Dr. Moisés Cohen
Essa semana falaremos sobre osteoporose. E para abrir essa série, convidamos o ortopedista, Dr. Mois...

Diagnóstico Obesidade: Quando mais cedo, melhor! - Dra. Maria Edna de Melo
Para fechar a semana da obesidade, convidamos a Dra. Maria Edna de Melo, Presidente da Associação Br...

Desmistificando os Remédios para Obesidade - Dr. Marcio C. Mancini
As opiniões sobre os remédios de emagrecimento se divergem. Muitos são contra, outros dizem que, sem...

Filhos gordinhos: Desafio para os pais! - Dr. Filippo Pedrinola
O crescimento da obesidade infantil vem tomando proporções epidêmicas. De acordo com a OMS, a dieta ...

BrazilHealth