logo

BrazilHealth
Fazer login
Mantendo sua saúde vascular no inverno

Dr. Bruno Naves, Angiologia e Cirurgia Vascular
Publicado em 23/06/2017 - Atualizado em 26/06/2017


O tempo frio é um grande amigo dos pacientes portadores de Insuficiência venosa crônica, varizes, pois nesta época eles tem menos edema (Inchaço), sentem menos dores na perna e esquecem um pouco do seu problema estético pois não colocam roupas curtas e não frequentam muito os clubes para nadar. Nós que moramos em um país tropical com predomínio absoluto de dias quentes as vezes não damos a importância devida ao frio e principalmente, pessoas idosas e com problemas arteriais, devem evitar se expor sem a devida proteção.


O sangue tem um papel muito importante na manutenção da temperatura corporal. No frio esta função é ainda mais importante. Se os vasos por onde passa o sangue estão com problemas, no inverno, quando eles são mais exigidos com a temperatura baixa, podemos começar a sentir certos sintomas que devemos ficar atentos. Para entender melhor o que acontece vamos falar da má circulação, ou dificuldade de circulação nas pernas que na medicina é denominada, doença arterial periférica, e acontece quando as artérias dos membros inferiores responsáveis por levar o sangue que sai do coração cheio de nutrientes e oxigênio para as extremidades, apresentam algum problema que dificulta a chegada deste sangue. Quando andamos por exemplo, precisamos de energia, glicose e oxigênio que são levados pelo sangue para que os músculos envolvidos no movimento possam trabalhar. Precisamos também de uma boa irrigação sanguínea para nutrição da pele, tecidos, unhas, pelos ossos enfim para todo tecido vivo. As artérias quando somos jovens são lisas e capazes de conduzir todo o sangue necessário para as nossas necessidades. Com o passar dos anos, elas vão se desgastando assim como todo o organismo e neste processo de degeneração elas podem apresentar acúmulo de gordura em suas paredes, o colesterol por exemplo, que vai causando um estreitamento da parte interna do vaso, dificultando a passagem de sangue. Esta gordura acumulada pode obstruir parte do vaso e se não for tratada pode chegar a obstruir toda a passagem de sangue em um determinado segmento do vaso sanguíneo.

 Por isto é importante fazermos um controle do colesterol pois se ele estiver aumentado a possibilidade dele se acumular é maior.

Existem hábitos de vida que podem acelerar este desgaste ou retardar.

O sintoma inicial mais comum na doença arterial periférica é a dor que aparece na panturrilha (batata da perna) quando estamos em movimento. Com o movimento precisamos de mais sangue para levar nutrientes ao músculo. Se este sangue com nutrientes não chega de forma suficiente, a maneira do corpo nos informar que algo não está funcionando bem é a dor. Ou seja, a dor, que aparece no movimento como andar, que piora quando corremos ou subimos e que melhora quando paramos de movimentar é a dor característica da má circulação. Esta dor pode ser piorada pelo frio intenso que produz vasoconstricção dos vasos, ou seja, faz o vaso diminuir e piorar ainda mais a chegada de sangue no local necessário. Também pode piorar quando elevamos a perna pois o sangue vai ter mais dificuldade de subir até a extremidade elevada.

É muito importante estarmos atentos a linguagem corporal, neste caso a dor, que pode vir acompanhada de mudança de coloração da pele que fixa arroxeada ou pálida e da sensação de perna fria. A queda dos pelos na perna também é um sinal de atenção.

Esta situação pode se agravar com o vício maldito do cigarro, com a ingestão de comidas gordurosas, frituras, pelo estresse intenso e pela vida sedentária. Cada um destes fatores pode agravar a doença arterial, sendo que o pior é o tabagismo.

Se a doença não for reconhecida e tratada pode evoluir para consequências mais graves como lesões ulceradas que provocam muita dor e até perda do membro por morte de tecidos levando a amputação do membro. Ou seja, é muito grave!

 Quando a pessoa tem dificuldade de circulação, já diagnosticada, ela já tem a passagem do sangue dificultada por placas de gordura, cálcio e pela própria degeneração da parede do vaso ao longo dos anos. Por este motivo, chega menos sangue para a manutenção das funções vitais, inclusive manutenção da temperatura e chega com mais dificuldade nas extremidades. O frio contrai as artérias (vasoconstricção) e dificulta ainda mais a chegada de sangue arterial principalmente nas extremidades, das pessoas que já tem o problema.

Pessoas que sabidamente tem problemas de circulação arterial, fumantes, diabéticos que já tem comprometimento vascular, portadores de doenças reumáticas devem se prevenir de expor ao frio intenso. O organismo gasta muita energia para aquecer o corpo e particularmente as extremidades e por este motivo estas pacientes devem se agasalhar bem, usar meias de lã, luvas se o frio for intenso e cachecol. Quando for praticar exercícios ao ar livre, usar agasalhos de ginástica até aquecer o corpo. Evitar variações bruscas de temperatura. Entre os sintomas mais comuns os pacientes que tem claudicação intermitente, que é dor ao caminhar, podem apresentar esta dor com menos tempo de caminhada ou em curtas distâncias de subidas. Na prática de atividades físicas competitivas, esportes, a chance de um evento cardíaco é maior pois muito do sangue é desviado para os músculos, então praticar com prudência, lembrando dos seus limites. Certas pessoas quando expostas ao frio intenso apresentam uma disfunção circulatória em que as mãos ficam pálidas com manchas vermelhas e depois azuis. Chamamos de fenômeno de Raynaud, e é muito desagradável. A melhor forma de evitar é se proteger e principalmente as extremidades a exposição ao frio intenso. 

Conselhos básicos para pacientes portadores de falta de circulação no inverno:

  1. Não menospreze o frio, procure se agasalhar e poupar suas energias.
  2. Na prática esportiva, reconheça os seus limites.
  3. Se usa medicamentos para circulação (vasodilatadores) veja com seu médico se vai precisar reajustar a dose.
  4. Evite mudanças bruscas de temperatura. Se for sair de um ambiente frio para um aquecido ou vice-versa, vá devagar para se acostumar.
  5. Use e abuse das sopas, caldos quentes e comidas típicas desta estação, lembrando de evitar as gorduras de origem animal.

O que podemos fazer então para prevenir a doença:

  1. Procura fazer um levantamento das tendências familiares e se houver casos de má circulação na família procurar o médico antes de sentir alguma coisa para fazer uma avaliação com um angiologista ou cirurgião vascular.
  2. Parar de fumar.
  3. Procurar fazer uma alimentação saudável evitando gorduras animais, frituras e abusando de saladas, verduras, legumes, peixe e azeite de oliva.
  4. Gerenciar bem o estresse.
  5. Procurar fazer uma atividade física regular que trabalhe principalmente a musculatura da panturrilha.
  6. Fazer um controle rigoroso do colesterol, triglicérides, glicose sanguíneos.
  7. Pense saúde e não deixe a doença acontecer na sua vida.

MANTENDO SUA SAÚDE VASCULAR

  1. Evite permanecer de pé ou sentado (a) por mais de uma hora. Se isto ocorrer, ande um pouco e procure fazer exercícios ficando na ponta dos pés. Mova as pernas enquanto estiver sentado (a).
  2. Não use cintas abdominais, roupas apertadas, meias com elásticos apertados e jeans excessivamente justos.
  3. Uma dieta rica em fibras, cereais, alimentos integrais, frutas, vegetais e grãos, ajuda no controle do peso e também evitam a constipação intestinal.
  4. Use sapatos confortáveis. Saltos muito altos (acima de 7 cm) podem ser prejudiciais à sua circulação.
  5. Melhore muito sua circulação fazendo exercícios aeróbicos (caminhada, bicicleta, natação) pelo menos 150 minutos por semana e reforce a musculatura fazendo trabalho com peso, procurando fortalecer principalmente a panturrilha (batata da perna), duas vezes por semana. Evite exercícios de alto impacto ou que façam força para baixo.
  6. Nos pacientes com problemas venosos e linfáticos, sempre que puder coloque os pés elevados, um pouco acima do coração.
  7. Pacientes diabéticos e/ou portadores de insuficiência vascular periférica devem se habituar a examinar todos os dias os pés a procura de rachaduras, pequenos machucados e caso encontre cuidar imediatamente. Ao fazer os exercícios use um tênis bem confortável.
  8. Enfim, cultive a arte de se bem amar. Pessoas bem-amadas, se cuidam bem, cuidam bem de seus relacionamentos, trabalham felizes, são ecológicas e vivem em harmonia. Cultive a alegria e o bom humor!
BrazilHealth
Angioplastia Coronária - Dr. Jose Armando Mangione
Você sabe o que é a angioplastia? Trata-se de um procedimento não cirúrgico que visa a revasculariza...

12 Dicas para manter a saúde do seu coração - Dr. Otávio Celso Eluf Gebara
Essas dicas são simples e fáceis. Não perca mais tempo! Coloque-as em prática e mantenha a saúde do ...

Ataque Cardíaco ou Parada Cardíaca: O QUE FAZER? - Dra. Denise Hachul
Reconhecer os sintomas e seguir para um hospital imediatamente pode ser a diferença entre a sobreviv...

10 Hábitos Prejudiciais ao Coração - Dr. Otávio Celso Eluf Gebara
As doenças cardiovasculares ocupam o primeiro lugar no ranking das principais causas de óbitos no Br...

Estudos Comprovam: Chocolate faz bem ao coração! - Anthony L. Komaroff, M.D
Estudos de Harvard mostram que os alimentos derivados do grão do cacau - em particular o chocolate a...

BrazilHealth