logo
BrazilHealth
Fazer login
Home  >  Videos e artigos  >  Intolerância Lactose: Causas, Sintomas, Tratamento
Intolerância Lactose: Causas, Sintomas, Tratamento

Redação, Nutrição
Publicado em 11/12/2017 - Atualizado em 21/10/2018



Antes de falarmos sobre a intolerância à lactose, que tal entendermos O QUE É a tão falada LACTOSE?

O que é?

A lactose é um tipo de açúcar encontrado no leite. Ela é a responsável por aquele gostinho levemente adocicado da bebida. É produzida exclusivamente nas glândulas mamárias dos mamíferos, constituindo cerca de 7% do leite humano e quase 5% do leite de vaca.

Para que a lactose seja digerida e absorvida pelo organismo, ela precisa sofrer a ação da lactase, uma enzima digestiva produzida pelos mamíferos que divide a lactose em glicose e galactose.

O que é a Intolerância à Lactose?

A intolerância ao leite e aos produtos lácteos ocorre nos indivíduos que possuem níveis insuficientes da enzima lactase, responsável por digerir a lactose. A intolerância à lactose em adultos é bastante comum e afeta cerca de 40% dos brasileiros e 70% da população mundial, cujas causas estão muito relacionadas com a falta de produção de lactase na fase adulta.

Mas atenção: Intolerância à lactose não é a mesma coisa que alergia ao leite - falaremos mais sobre isso amanhã - Mas a intolerância à lactose ocorre por uma falha enzimática e não tem relação aos processos alérgicos.

Causas e Tipos

1) Deficiência congênita – por um problema genético, a criança nasce sem condições de produzir lactase (forma rara, mas crônica);

2) Deficiência primária – diminuição natural e progressiva na produção de lactase a partir da adolescência e até o fim da vida (forma mais comum);

3) Deficiência secundária – a produção de lactase é afetada por doenças  intestinais, como diarreias, síndrome do intestino irritável, doença de Crohn, doença celíaca, ou alergia à proteína do leite, por exemplo. Nesses casos, a intolerância pode ser temporária e desaparecer com o controle da doença de base.

Sintomas

A lactose não digerida é fermentada por bactérias da flora intestinal, resultando na produção de ácidos orgânicos e gases que provocam sintomas como:

* Diarreia;

* Cólicas;

* Flatulência;

* Dores abdominais;

* Náuseas e vômitos.

Os sintomas da intolerante à lactose são pouco específicos e podem ser comuns à outras doenças gastrointestinais, assim, a dica para se pensar em intolerante à lactose é o aparecimento dos sintomas sempre que o paciente ingere alimentos com leite ou derivados, incluindo sorvetes, iogurtes, queijos, etc.

Se você se sentir mal depois de beber um copo de leite uma vez, não necessariamente você tem intolerância à lactose. Mas, se você se sentir mal toda vez que bebe leite (ou qualquer laticínio) a intolerância à lactose deve ser suspeitada.

Diagnóstico

Além da avaliação clínica, o diagnóstico da intolerância à lactose pode contar com três exames específicos: teste de intolerância à lactose, teste de hidrogênio na respiração e teste de acidez nas fezes.

O primeiro o paciente recebe uma dose de lactose em jejum e, depois de algumas horas, colhe amostras de sangue para medir os níveis de glicose, que permanecem inalterados nos portadores do distúrbio.

O segundo considera o nível de hidrogênio eliminado na expiração depois de o paciente ter ingerido doses altas de lactose.

E o terceiro leva em conta a análise do nível de acidez no exame de fezes.

Tratamento

          

A intolerância à lactose não é uma doença. É uma carência do organismo que pode ser controlada com dieta e medicamentos. No início, a proposta é suspender a ingestão de leite e derivados da dieta a fim de promover o alívio dos sintomas. Depois, esses alimentos devem ser reintroduzidos aos poucos até identificar a quantidade máxima que o organismo suporta sem manifestar sintomas adversos. 

Uma pessoa que desenvolveu intolerância à lactose pode levar vida absolutamente normal desde que siga a dieta adequada. Já existem no mercado leite e outros produtos lácteos sem lactose, sendo está uma boa solução para que o paciente não deixe de consumir laticínios. Existem produtos com 0% de lactose e produtos com redução de 80 a 90% da lactose.

Existem também medicamentos para repor a lactase. O paciente pode tomar a lactase (em pó, pílulas ou líquido) logo antes da refeição, permitindo uma melhor digestão dos laticínios.

 

Deixe um comentário
Foto
Comentários
BrazilHealth
Mais Lidos
Corte no dedo: O que fazer? - Prof. Dr. Alvaro Cho
O corte no dedo é um dos principais acidentes domésticos do dia-a-dia. Os cortes ocorrem nas mais va...

Diferença entre limpar e umidificar o nariz. - Dr. Paulo Mendes Jr
Você sabe a diferença entre limpar, umidificar e aliviar o nariz? Especialista explica qual o melhor...

O PSA após a cirurgia ou a Radioterapia - Dr. Fernando Maluf
Você sabe qual é o valor do PSA que indica a volta do tumor após a cirurgia? Será que o PSA associad...

O que é Medicina Integrativa? - Editorial
Na contramão da medicina tradicional e ortodoxa, terapias alternativas estão ganhando cada vez mais ...


Relacionados
Colesterol e a Saúde do Coração - Flávio Passos
“Colesterol” é uma daquelas palavras que escutamos constantemente, mas que de fato poucos compreende...

Você está preparado para correr? - Wilson Mello
Novas ferramentas estão surgindo para auxiliar os corredores tanto na prevenção de lesões quanto na ...

Medicina Tradicional Chinesa -Medicina integrativa - Liaw Chao
Pesquisa americana mostra que 4 entre cada 10 adultos americanos utilizam pelo menos uma terapia com...

Dicas para uma Ceia de Natal saudável - Harvard Medical School
Especialistas da Harvard Medical School dão dicas de como deixar o buffet de fim de ano mais saudáve...

BrazilHealth